WhatsApp_Logo_2.png
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

©2016

 
FullSizeRender_edited.jpg

LASER TRANSDÉRMICO

O laser Nd:YAG é, hoje, o melhor laser disponível para o tratamento de varizes.
Permite atingir camadas mais profundas da pele e tem alto poder de absorção pela hemoglobina, componente do sangue. Ou seja, é absorvido pelas varizes sem danificar a pele.
O laser Nd:YAG pode ser utilizado para remover vasinhos e veias do rosto e das pernas.
O tratamento é realizado com a máquina de laser e resfriamento da pele através de um jato de ar frio para analgesia associado a sessões de escleroterapia para potencializar o efeito do tratamento.
Após as sessões de laser, deve-se evitar exposição ao Sol, usar meias elásticas ou ataduras conforme a orientação médica. Não é necessário repouso.
Apesar de seus excelentes resultados, podem ocorrer alguns efeitos indesejados como dor de leve intensidade durante os disparos do laser, vermelhidão local imediatamente após o procedimento, casquinhas ou bolhas na pele.
Em pacientes com peles mais escuras ou bronzeadas, podem surgir áreas esbranquiçadas na pele. Por isso, orienta-se evitar exposição ao Sol antes e após o tratamento por 7 a 15 dias.

A resposta do tratamento depende do tamanho e localização dos vasinhos. Além do tipo de pele tratada. Mas geralmente pequenos vasinhos diminuem após 1 a 3 sessões e veias maiores precisam de mais tempo de tratamento.

CIRURGIA ESTÉTICA DAS VARIZES

As varizes veias dilatadas e tortuosas frequentemente encontradas nas população. Podem incomodar os pacientes desde desconforto estético a dores e úlceras nas pernas. Infelizmente, ainda hoje não existe um tratamento medicamentoso que elimine de vez as varizes e, muitas vezes, precisamos recorrer a cirurgia para melhora estética e alívio dos sintomas.

A cirurgia começa com a marcação das varizes a serem tratadas nas pernas da paciente. Assim sabemos quais vasos precisam ser removidos. E então é realizada a anestesia que pode ser anestesia local, geralmente, associado a sedação para conforto do paciente ou um bloqueio anestésico como raquianestesia. Durante a cirurgia, se houver indicação, pode ser realizado o tratamento da veia safena ou então apenas a retirada das varizes. O procedimento é simples e seguro e é realizado através de pequenas incisões do tamanho suficiente para utilizar as agulhas cirúrgicas (menos de 1 mm), e não há necessidade de pontos nas incisões de tão pequenas.

A retirada das varizes é indicada para casos mais leves, mas que não podem ser tratados com laser ou escleroterapia. 

Após a cirurgia, é preciso manter repouso por alguns dias antes de retornar as atividades habituais e evitar exposição ao Sol para evitar manchas nas pernas.

var_edited.png

ABLAÇÃO TÉRMICA DA VEIA SAFENA

A ablação térmica da veia safena por radiofrequência ou endolaser é um procedimento minimamente invasivo para o tratamento das varizes. É hoje o tratamento de escolha para veias safenas e uma alternativa moderna e segura à safenectomia cirúrgica convencional.
O procedimento é realizado sob anestesia local e sedação ou raquianestesia associado ao uso do ultrassom, que guia a punção da veia safena e ajuda na passagem do cateter de laser ou radiofrequencia. Esse cateter vai gerar calor no interior da veia e "queimar" a safena para promover seu fechamento. As varizes associadas são removidas no mesmo procedimento (veja remoção estética das varizes). 
Após a ablação, é possível ter alta hospitalar no mesmo dia, com possibilidade de retomar o trabalho rapidamente, sem necessidade de repouso prolongado. É necessário uso de meias de compressão para diminuir a chance de hematomas locais e evitar exposição ao Sol.

ESCLEROTERAPIA CONVENCIONAL

A escleroterapia é uma opção de tratamento para vasinhos que consiste na aplicação de um líquido esclerosante no interior das veias. São utilizadas agulhas bem fininhas e um resfriador - um jato gelado sobre a área tratada - para diminuir a sensação dolorosa durante o procedimento. 
É realizado em consultório, sem necessidade de anestesia ou repouso.
A escleroterapia  pode levar a efeitos indesejados como tromboses, infecção de pele, hiperpigmentação (manchas escuras), matting (surgimento de novos vasinhos) e úlceras. Para evitar complicações, deve-se evitar exposição ao sol por um período mínimo de 10 a 15 dias e, principalmente, realizar o procedimento apenas com especialista capacitado para indicar e tratar as possíveis complicações. 
A maioria das vezes,  são necessárias mais de uma sessão para o desaparecimento dos vasinhos e a resposta é individual, ou seja, varia para cada paciente.

ESCLEROTERAPIA COM ESPUMA

 Na escleroterapia com espuma injetamos no interior das varizes polidocanol sob forma de espuma - capaz de induzir inflamação e fibrose dos vasos com posterior absorção e desaparecimento dos vasos tratados.

A grande vantagem da espuma é a possibilidade de evitar cirurgias. Pois sob a forma de espuma, o polidocanol consegue ficar mais tempo em contato com a parede da veia, e torna possível tratar veias de maior calibre e até pacientes com úlceras por varizes.

Esse procedimento é realizado no consultório, sem anestesia e o paciente é liberado para ir para casa logo após. É necessário usar meias de compressão para melhorar o resultado da escleroterapia por um período variado de tempo. 

A longo prazo, sua eficácia é inferior a cirurgia. Mas é uma excelente alternativa para pacientes que não podem ou não desejam operar.

As complicações são raras, mas pode ocorrer trombose, manchas e úlceras no local da aplicação.