A espuma substitui cirurgia?


A espuma é o tratamento desejo de muitas pacientes. É comum chegarem pedindo para fazer esse procedimento específico, pois vídeos "mágicos" nas redes sociais.

A escleroterapia com espuma é um tratamento muito versátil e pode ser utilizado em vasinhos fininhos até veias mais calibrosas como as safenas. Além disso, é uma forma de tratamento que não necessita de internação, repouso ou anestesia. Fazemos no consultório e, logo após, o paciente segue com sua vida normal.


É verdade que, em um grupo de pacientes, o tratamento com espuma pode substituir a cirurgia. Por exemplo, pacientes com alto risco cirúrgico pela idade, obesidade ou doenças associadas ou ainda aqueles que não desejam operar.

Porém quando comparamos a espuma a cirurgia, a espuma tem algumas desvantagens. Por exemplo, maior risco de manchas escuras após o tratamento, a chance de recanalização das veias tratadas após alguns anos, ou seja, o sangue volta a circular nas varizes e são necessárias novas sessões de tratamento. A escleroterapia com espuma tem algumas contraindicações e não deve ser feita em pacientes com forame oval patente, pacientes acamados ou com baixa mobilidade, gestantes e mulheres que amamentam. É preciso cuidado extra em pacientes com história de alergias, asma, enxaqueca ou trombose.


Por isso a espuma é uma excelente opção de tratamento quando bem indicada e é uma opção muito boa para complementar outros tratamentos como escleroterapia convencional, laser transdérmico e até após cirurgias.


Tem dúvidas sobre a espuma para varizes? Deixe seu comentário abaixo ou mande um e-mail para catarinaalmeida@hotmail.com.


Não deixe de nos seguir nas redes sociais @dracatarinaalmeida.


Boa semana a todos!

19 visualizações